quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Hoje, Ontem e sempre


Olá....

Depois de algum tempo e como é de praxe, vem aí mais um novo texto...

Esse texto é antigo mas mostra um pouco até do meu momento atual!

Quero agradecer quem me visita e quem me deixa comentários, isso faz com que eu tenha estimulos para continuar!

Obrigado a todos e tenham uma boa leitura!

Hoje, Ontem e sempre

João Luiz Mattos Souza

Na verdade, não digo por dizer

Na verdade, não faço por fazer

Na verdade, às vezes quase nunca há algo a dizer

Na verdade, sempre gostaria de estar com você

Tudo bem que nem sempre é tempo para o tempo

Nem os melhores ditos falam dos maiores sentimentos

E nem os menores sentimentos são vistos com as melhores palavras

Enquanto jogo e brinco com verbetes que não conheço

Desconheço a força do que há no não dizer

Me entrego ao eu viver

Que clama intensamente pelo eu vencer

Tudo moveu, hoje virou sagrado coração

Coração que nunca se entregou

Sofreu

Padeceu

E colheu

Colheu frutos e frutos

De um dia que ainda não nasceu

E o que será do amanhã sem o hoje?

Onde acharia um tempo para ter tempo?

Será que tudo aquilo que um dia foi lixo se tornará luxo?

Repostas são infinitamente infundadas para quem não tem as perguntas

E mesmo brincando de escrever

Venho e invento minha nova maneira de amar

Querer

Poder

Ter

Vencer

Tudo fica mais belo ao ver você

Simplesmente adormecida em um encanto de sonhos

Onde, eu, amado, querido e bem visto

Vejo seu sono tranqüilo e sinto paz ao ver-te em paz

Nada é como era no começo

E nem ainda principiou o inicio do fim

Fim?

Pra que?

Se apenas começamos!