segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Saudade...



Saudade.
João Luiz Batista Mattos

Sim...
É outono
O vento frio bate a minha janela
Chuva fina que molha e alivia
Ah, que saudade de meu tempo que não vivi
Sim
Vivo de saudade
Saudade do longo abraço
Do beijo carinho
Saudade das tardes
Das noites em conversar que terminam em eu te amo
Saudade do calor que aquece
Do fervor que entorpece
Vivo de saudade
Saudade do amigo
Saudade da infância
Saudade de quando eu tinha família
Hoje já não consigo viver o hoje
Porque insisto em viver das lembranças que "passaredo" me tras?
Não há porque chorar tanto
Nem ter tanta saudade
Se é para se viver que se viva
Para que um dia sim
Se viva e deixe ter
Saudade

Nenhum comentário: