sexta-feira, 3 de outubro de 2008

O poema


O poema

João Luiz Mattos Souza


Quantas vezes meu coração soube

Que de vez em quando é bom se poupar

Nem sempre é bom prantear

Ele foi avisado pelo Criador

“Enganoso és tu”

Mas ele não ouviu

Se entregou e sorriu

Mas foi um sorriso que durou até a noite

Oh! Noite...

Porque tava tão fria?

Vazia...

Agora ouço músicas que passam na TV

Elas passam por passar

Na iminente falta de você

Eu sei onde estas

Mas não sei como encontra – lá

Estou preso num sonho que insiste em se tornar pesadelo

Quero voltar a sonhar

E tentar perceber

Que vale a pena viver então.


3 comentários:

Dani!!!! disse...

Adorei teus textos virei tua fã!!!

Mecenas Sampaio disse...

Acho q vc quis dizer "estás" e "encontrá-las"

Vc pode enviar posts via email e eles têm corretor ortográfico.

Beijos

Preta disse...

Uiaaaa...